Carlo Acutis – Um jovem não conformista-Aluno do Instituto LeãoXIII

Sonia Andreoli

O Instituto Leão XIII conta entre os seus alunos, o joven Carlo Acutis (1991-2006), de uma vida “extraordinária no ordinário” que deixou uma marca indelével em todos que o conheciam e para o qual se espera o processo de beatificação. A diocese de Milão já começou a recolher os testemunhos de pessoas que afirmam ter recebido por meio do Carlo, graças de variada índole (1). Os jesuitas que dirigem o Instituto Leão XIII, aperfeiçoaram seu já forte temperamento espiritual, constatando como o Espírito Santo realiza milagres de graça mesmo no atual contexto social, no qual tantos jovens estão expostos à desintegração e a falsas idolatrias. Nestas páginas oferecemos um resumo do perfil de Carlo Acutis, um convite para um conhecimento mais profundo (2), que já levou muitos a considerá-lo um providencial “amigo no Senhor”, para usar uma expressão favorita de São Inácio de Loyola.

Interesses gerais e forte procura espiritual

Numa sociedade onde tudo parece ir atrás do “prazer”, submetida a um hedonismo desenfreado, onde até mesmo em “mensagens escondidas” há símbolos de referência explícita ao “desejo” que nada têm a ver com o espírito, ir contra a corrente – especialmente para um adolescente – é rejeitar esta forma popular de vida, quer com o pensamento, quer através das suas ações.

Quando uma pessoa decide colocar Deus e os valores cristãos, no centro da sua vida é uma pessoa que tem atingido, pelo menos, a chamada “maturidade”, ela pode mais facilmente passar despercebida, mas o que diríamos se ao rezar o Rosário, motivar os seus companheiros a acreditarem em outros valores, e passar um tempo no computador não para bater-papo, mas para procurar tópicos de vida espiritual, cartões hagiográficos ou imagens sagradas, trata-se de um adolescente? E, acima de tudo, não um tipo de rapaz que pode ser tachado como um “fanático” ou que sofre de qualquer distúrbio mental que o levou a se isolar dos outros, mas sim um jovem cheio de vida, feliz, risonho, sempre pronto para dar auxílio ou simplesmente uma palavra de conforto?

Talvez nos neguemos a acreditar, pois estamos acostumados a ouvir um monte de crimes que a midia nos proporciona, ou o habitual “Boletim dos incidentes da noite de sábado”, que acabam com muitas vidas jovens, para não mencionar os jovens que se perdem por causa de uma overdose, porque tomaram o caminho trágico da dependência de drogas …

Mas há uma outra realidade, menos conhecida mas positiva, da qual, Carlo Acutis (1991-2006) tornou-se uma testemunha com sua curta mas intensa vida.

Ele era um rapaz cheio de interesses, em especial daqueles que tinham a ver com a informática, de fato, quem o conhecia, além de defini-lo como um verdadeiro “gênio” do computador (o site que ele criou é um testemunho claro), podia constatar que estava envolvido no serviço de  voluntariado, na edição de filmes, direção e edição de jornais escolares e grupos envolvidos em iniciativas socialmente úteis.

Mas tudo  – também isto se destaca entre os testemunhos de quem o conhecia –  integrado num contexto de vida espiritual forte e consciente. Isso o levou à participação na missa diária, a permanecer sempre que possível, em adoração diante da Eucaristia, o gosto da oração autêntica, dentro da qual, a recitação do Rosário teve um papel importante. Tudo isso tinha claramente indicado no seu website, que ainda está online, editado agora por aqueles que o conheceram e apreciaram (3). Muitas páginas foram deixadas como  Carlo tinha criado.

Entre estas páginas web, podemos citar uma que mostra seu talento especial e seu agradável gosto estético, uma verdadeira “amostra on-line” sobre os milagres eucarísticos no mundo.

Como exemplo de seu grande interesse na vida dos santos há uma página longa, que ele chamou “meus amigos do céu”, incluindo dezenas de “guias” dos santos, veneráveis, beatos e servos de Deus, que particularmente lhe tinham  interessado e que deixaram rastro em sua vida espiritual.

Assim, com base  nestes, os seus interesses tão “alternativos” em comparação com aqueles que crescem geralmente na adolescência, e graças ao “empurrão” de uma fé forte, tentava de todas as maneiras trazer almas a Deus, sugerindo aos que o conheciam para levarem uma vida verdadeiramente cristã, especialmente “se alimentando” do Corpo e o Sangue de Cristo, que nunca faltou nos seus dias. A frase-chave do seu site, escrito em letras grandes, diz, de um jeito mesmo original: A Eucaristia é a minha rodovia para o céu.

Acontecimentos significativos da sua vida

Carlo Acutis nasceu em Londres a 3 de maio de 1991, lugar onde, devido às exigências laborais, encontravam-se os seus pais, Andrea e Antônia. Alguns dias depois ele recebeu o batismo, no dia 18 de maio, na Igreja de Nossa Senhora das Dores, em Londres, e a sua mãe, profundamente católica, prepararou um bolo em forma de cordeirinho para agradecer ao Senhor pela entrada do Carlo na comunidade cristã. Nessa igreja havia uma estátua de Nossa Senhora de Fátima, da qual Carlo seria muito devoto, meditando freqüentemente sobre as mensagens dadas aos pastorinhos.

Sobre a importância fundamental do sacramento do Batismo, muitas vezes reduzido a uma celebração meramente social,  Carlo expressou-se assim: “O Batismo é importante porque permite que as almas sejam salvas graças ao retorno à vida divina.  As pessoas não percebem o que é esse dom infinito, e além do confete,almoços e vestido branco, não se preocupam absolutamente em entender o significado deste grande dom que Deus dá à humanidade. ”

A infância de Carlo se desenvolve sob o carinho e amorosos cuidados não só dos seus pais e parentes próximos mas também de algumas enfermeiras. O menino se mostra alegre, animado, mas ao mesmo tempo se mostra dócil, uma docilidade um pouco rara nesta idade: se algum companheiro o ofende, não reage instintivamente, citando como motivos: “O Senhor não seria feliz se eu reagir violentamente.”

Na idade de doze anos, ele ia à Missa todos os dias, mesmo durante a época de férias, tirando força da Eucaristia para viver uma vida santa é bem diferente da dos outros rapazes…

Prefere ir em peregrinação a Assis, em lugar de escolher outros locais de entretenimento, um comportamento muito curioso para aqueles ao redor dele, até o ponto que alguns dos seus parentes, chamaram-no de “a vítima dos seus pais”, pensando que estavam a lhe impor um “itinerário de férias”.

Mas a realidade era diferente, como confidenciou o próprio Carlo a seu pai espiritual antes de sair desta dimensão terrena, “Assis é o lugar onde me sinto mais feliz”, eis a razão pela qual tanto admirava São Francisco, especialmente sua grande humildade.

Depois da escola primária, ele foi matriculado no Liceu Clássico Leão XIII, dirigida pelos jesuítas, onde foi seguido pelo padre espiritual Roberto Gazzaniga s.j. Não era o primeiro da classe, mas conseguia resultados muito bons, sempre disposto a ajudar com alegria e generosidade os amigos e todos ao seu redor, especialmente na utilização do computador, estava convencido da importância do uso construtivo dos computadores e da Internet, conceito expresso pelo Papa João Paulo II e também reafirmado hoje pelo Papa Bento XVI. Muitas vezes colocou ao serviço os seus conhecimentos, realizando apresentações multimídia de iniciativas promovidas pelo Instituto.

Carlo demonstrou interesse especialmente por aqueles colegas menos apreciados, por aqueles que ele sentia eram excluídos. Assim o afirma um amigo seu: ” Carlo era um rapaz muito dado a fazer amizade com todos, e muitas vezes acompanhava-se com os rapazes que tinham alguns inconvenientes para socializar. Isso também aconteceu com alguns jovens da nossa turma.  Carlo se interessava por eles procurando acolhê-los e fazia com que se sentissem parte importante da classe.  Carlo ia à missa várias vezes por semana, de fato, ele tinha muita fé, acreditava no diálogo pessoal com o Senhor mesmo que fosse breve e rezava o Rosário todos os dias. Após a morte de Carlo voltei para Igreja e eu acho que poderia ser mérito da intercessão dele. ”

Estas são algumas máximas indicadas  por Carlo no site que ele criou, ele disse estas palavras: “eu decidi te ajudar, confiando-te alguns dos meus segredos muito especiais para alcançar rapidamente a meta da santidade:

1)     É necessário desejá-la com todo o coração, e se não a desejares ainda, tens de pedi-la com insistência ao Senhor.

2)     Tenta ir à Santa Missa todos os dias e receber a Santa Comunhão.

3)     Lembra-te de rezar o Rosário todos os dias.

4)     Lê um fragmento das Santas Escrituras todos os dias.

5)     Se podes fazer alguns momentos de adoração eucarística diante do sacrário, onde está realmente presente Jesus, verás como aumenta prodigiosamente o teu nível de santidade.

6)     Tenta confessar-te se possível, todas as semanas, mesmo pelos pecados veniais.

7)     Faz propósitos e oferendas florais freqüentes para o Senhor e Nossa Senhora e  de ajudar os outros.

8)     Pede continuamente ao teu Anjo da Guarda para te ajudar, ele deve se tornar o teu melhor amigo.

A religiosidade de Carlo não era “uma beatice” nem uma religiosidade superficial. Na verdade, a sua cultura na fé – considerando sua pouca idade – era muito ampla, a tal ponto que o seu professor de religião no colégio, quando não conseguia se lembrar exatamente de algumas citações do Evangelho,   virava-se para o Carlo em busca de ajuda… e não ficava decepcionado das suas respostas!

O seu comportamento na igreja também era irreprensível, típico de uma pessoa que não freqüenta só por costume, comportava-se com o devido respeito e recorda-se como em várias ocasiões repreendeu aquelas pessoas que não se comportavam adequadamente no recinto sagrado.

A sua confiança em Deus era total e manifestava-se na sua alegria de viver, que se transparentava no seu sorriso radiante e no seu jeito calmo de lidar com os pequenos problemas diários. Apesar de pertencer a uma família rica, nunca presumia do seu status com roupas de marca ou outros objetos que pudessem atrair a atenção: preferia que a “atenção” das pessoas se dirigisse para outra coisa, a amar e agradecer ao Senhor …

Ao incluir no seu site muitas figuras de santos destacou o fato de que não eram criaturas “extraordinárias ” quase por natureza ou predestinação, mas pessoas como nós, para seguirmos  o seu exemplo, vivendo de acordo com os ensinamentos do Evangelho.

O desejo de Carlo de conhecer e dar a conhecer as hagiografias (o santoral), a vida dos beatos e servos de Deus, levou-o também a “pegar” do nosso site algumas imagens e artigos, especificamente as páginas dedicadas à Venerável Maria Teresa González-Quevedo (texto e fotografias) e duas imagens da Serva de Deus Santa Scorese. Tratando-se do “sujeito ” em questão o “perdoamos ” de bom grado, e, na verdade, ficamos satisfeitos com a esperança de que, do alto, reze pelo bom sucesso do nosso trabalho apostólico.

O amor pelo Senhor também se juntou ao amor ao próximo, amor muito grande:  Carlo, de fato, nunca negava o seu apoio quer a pessoas “de alta classe” quer àqueles que se encontravam na indigência. A caridade, tomada em seu sentido original de amor, era abundante na vida de Carlo, uma  caridade silenciosa, oculta, tal como Jesus aconselhou-nos no Evangelho: “Que não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua mão direita, de modo que a tua esmola permaneça escondida: e teu Pai que vê em secreto, recompensar-te-á “(Mateus 6:1-6). Um traço que é comum a muitos santos, como aquele ao qual é dedicada a nossa revista, São José Moscati. De fato, por exemplo, uma testemunha relatou que havia observado o Professor Moscati a deixar generosas oferendas nos cofres do Santuário de Nossa Senhora de Pompéia, quando a igreja estava fechada, pensando que estava sozinho.

Além disso, o centro da existência de Carlo Acutis foi a Eucaristia, como foi na vida de São José Moscati, e os frutos resultantes deste amor têm sido os mesmos, apesar de serem apanhados em lugares, modos e tempos diferentes.

Um exemplo de como  Carlo pensava no bem-estar daqueles que tinham muito menos do que ele, sua avó materna, Luana, refere o caso de um mendigo que o rapaz tinha visto a dormir no chão, num jardim público de Assis: ” Carlo lembrava-me todas as noites de preparar a refeição para a levar ao pobre homem e sempre deixava perto dele um euro que tirava do seu bolso, assim, quando o mendigo acordava encontrava o euro perto dele”. Exemplo daquele amor que não espera nada em troca, daquela alegria que há no dar e não no receber …

O testemunho que nos foi dado por Carlo, leva-nos a refletir sobre como a riqueza não é um mal em si, mas sim o valor que muitas vezes lhe é dado, o egoísmo, que muitas vezes se deriva dela. O desejo de “abranger tudo para si”, sem partilhar com o próximo: Este é o verdadeiro mal.

Ninguém poderia imaginar que o Senhor em breve iria chamar para o céu este rapaz cheio de virtude e que gozava de boa saúde: a doença que o afetou, uma leucemia de tipo M3 (que é aguda), foi inicialmente confundida com uma papeira simples, mas o mal escondido agravou-se rapidamente, apesar dos muitos tratamentos, até a partida de Carlo. Tudo no espaço de um mês: o Senhor chamou-o para o céu, às 6:45, em 12 de outubro de 2006. Ele tinha apenas 15 anos.

Durante o curso da sua doença, os pais ouviram-no dizer: “Eu ofereço ao Senhor  todos os sofrimentos que devo sofrer, pelo Papa e a Igreja, para não ir ao Purgatório e ir direto para o Paraíso”.  Eis em poucas palavras a mensagem de um rapaz tão “diferente” dos outros que, mesmo no sofrimento, nunca deixou de confiar no Senhor e oferecer tudo para poder gozar do Paraíso, e pelo bem dos outros.

A morte não é o fim de nada, mas um verdadeiro começo, e foi naquele dia 12 de Outubro de 2006 que a verdadeira vida do Carlo começou …

  1. Para favores recebidos, pedidos de intercessão, ou para solicitar folhetos, imagens e material sobre Carlo Acutis, que é enviado gratuitamente, favor contatar:
    Dott.ssa Francesca Consolini – Ufficio delle Cause dei Santi – Diocesi di Milano – Piazza Duomo 16, 20122 Milano.

Notas

  1. Nicola Gori, Eucaristia: la mia autostrada per il Cielo. Biografia di Carlo Acutis, Edizioni San Paolo, 2007.
  2. O endereço do site é: www.carloacutis.com

Tradução para o portugues do site:

http://www.gesuiti.it/moscati/Ital5/SA_Carlo_Acutis.html

Dr Alejandro Carvajal –San José –Costa Rica.

Uma resposta para “Carlo Acutis – Um jovem não conformista-Aluno do Instituto LeãoXIII”

  1. Sempre pensei que a santidade fosse algo longe,algo distante de nós.Em Carlo Acutis,vejo um jovem com uma vida normal porém com um verdadeiro sentido.
    Para mim fica a mensagem de que a santidade é dar um sentido verdadeiro,sentido baseado em Jesus e nos valores éticos.Que Carlo possa interceder por cada um de nós e de modo especial para os que estão levando uma vida sem sentido.
    Abraços a todos do site.
    Alexandre – Alphaville- SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
= 4 + 2